Shania Twain

sábado, fevereiro 09, 2008

Entrevista ao Country Countdown - 2003

Olá pessoal!

Hoje tenho mais uma ótima entrevista para mostrar a vocês. Como ninguém é de ferro, usarei essa desculpa pra explicar o porque de eu não ter postado outras traduções ao longo do mês de janeiro. Eu não pensei que fosse tão custoso arranjar um tempo bom para fazer traduções, mas admito que já tinha terminado esta há uma semana, só não conseguia tempo pra postar. Mas, vamos prosseguir.

Em 2003, um ano animadíssimo para Shania, que podemos chamar até de “o” mais animado, Shania saiu pela América em divulgação do seu novo CD, “Up!”. Essa temporada foi marcada por um incrível show realizado na cidade de Chicago, sendo um dos pontos fortes de sua carreira e cativando e aliciando cada vez mais novos fãs. Mas isso a maioria de vocês já sabe.

A entrevista que mostro hoje foi realizada por Lon Helton no programa de rádio Country Countydown e foi ao ar em 30 de agosto de 2003, apenas algumas semanas depois de Shania ter realizado o show em Chicago, o que fez este ser o principal assunto da entrevista.
Outros pontos comentados, além do especial (que na época ainda não tinha virado DVD), foram os 10 anos de carreira que Shania completou no ano de 2003, o modo como Shania canta no palco em estúdio e o dueto feito com Dolly Parton na época. Entre outros assuntos, falaram também sobre Toby Keith, que integrava um trio com Shania e John Brannen, numa turnê chama Triple Play Tour em meados de 1993, bem no começo da carreira deles.

Bem, antes de vocês lerem, quero dizer que a fonte dessa entrevista foi uma postagem que achei no fórum do TeamShania.com, mas como esta postagem não existe mais, eu peguei o texto no cache do Google. Não sei porquê, mas não consigo mais achar o tópico no próprio cache do Google, o que me leva pensar que foi apagada. Foi uma sorte eu ter salvo o texto original em inglês. Infelizmente, o único lugar agora onde você pode achar essa entrevista na língua original é nos Extras da CasaTwain. Outra coisa que preciso esclarecer é que durante a entrevista, houve várias pausas, seja pra intervalos comerciais ou para que Lon colocasse a próxima música (afinal, é uma rádio), ajudado inclusive por Shania. Então não estranhem esses intervalos.

Vamos lá então. Boa leitura para todos.


Programa de rádio Country Countdown, 30 de agosto de 2003

Lon: A cada semana, é claro, estou convidando uma mega-estrela do country que passa aqui pelo estúdio para me dar uma mãozinha na escolha dos melhores hits e nesta semana tenho o prazer de ter a meu lado Shania Twain.

Lon: Como você está?

Shania: Estou bem, e você?


Lon: Ótimo e, é claro, tenho estado assim durante estas poucas semanas desde que seu especial de TV foi ao ar. Aquele filmado em Chicago, é claro. Eu estava lá no público e devo te dizer que foi muito divertido.

Shania: Obrigada, pra mim também foi muito divertido, tive ótimos momentos.

Lon: É preciso ser muito famoso pra olhar em volta e encontrar algo como 55.000 ou 60.000 pessoas presentes.

Shania: Foi maravilhoso e só pra confirmar, havia 65.000 pessoas lá.

Lon: Uau, isso é fabuloso. Então, o que mais te agradou naquela noite?

Shania: O fato de que aquilo pareceu uma reunião de velhos amigos. Encontrar todo mundo foi tão excitante, o público cantava todas as músicas e eu me senti totalmente bem recebida de volta. Foi como uma festa particular.

Lon: Vou te contar que sou da parte sul de Chicago e de lá era possível ver você junto às 65.000 pessoas enquanto anoitecia, e o horizonte de Chicago estava tão limpo.

Shania: Foi uma noite especial para mim.

Lon: Pois é, foi muito, muito especial. E vejam, nós gostamos tanto desse assunto que ainda vamos falar mais sobre essa noite em Chicago e sobre como esse show foi somente um aquecimento para sua extensa turnê norte-americana que começa mesmo ao final de setembro.

Lon: O ano de 2003, é claro, marca seu 10º aniversário como uma cantora de discos gravados.

Shania: É verdade.

Lon: Olhando para o passado, quais são seus pensamentos sobre esses 10 anos de carreira?

Shania: Cara, têm sido 10 anos inacreditáveis. Ótimos 10 anos em que muitas coisas maravilhosas aconteceram. E hoje mesmo eu estava dizendo a alguém sobre como Toby Keith está indo tão bem hoje quanto estava no passado. E é maravilhoso ver que depois de todos esses anos ambos ainda fazemos nossas coisas e que ainda há muita coisa pra nos acontecer além desses 10 anos.

Lon: É claro. Poderíamos até dizer às pessoas que há dez anos atrás você e Toby estavam no mesmo patamar de iniciantes e que sairiam por aí fazendo várias coisas juntos pela carreira afora, visitando estações de rádio, fazendo shows e coisas assim.

Shania: Concordo

Lon: O que você pensa, passados dez anos, sobre a vitória de Toby na categoria de Entertainer of the Year no CMA?

Shania: Acho que Toby é um artista fabuloso. Acho que ele tem sido assim por muitos anos. A cada show ele sempre fazia uma ótima apresentação, e obviamente me lembro disso na Triple Play Tour que fizemos. Ele merece muito o prêmio de Entertainer of the Year.

Lon: Acho que provavelmente muitas pessoas viram você na última primavera cantando “Forever And For Always” no CMT Flameworthy Awards junto com Allison Krauss e digo que toda vez que te vejo cantando essa canção, você está sentada. Tenho certeza que deve haver uma boa razão pra isso. Por que você só canta essa música assim?

Shania: [risos] O engraçado é que antes de qualquer coisa, quando vou gravar um álbum no estúdio, eu preciso me sentar e permanecer assim o tempo todo. Foi assim em todos os meus álbuns.

Lon: Por quê?

Shania: Acho que é por causa de eu estar acostumada a sentar enquanto canto já que eu sento com meu violão para compor e acabo passando muito tempo cantando sentada. Fico mais confortável assim. Então, é tão instintivo para mim. É claro que o público de TV não sabe disso e provavelmente fica surpreso em me ver sentada, mas é algo que eu sempre faço nos meus shows. É algo que gosto tanto que preciso fazer sempre.

Lon: Interessante.

[uma versão acústica de FAFA é executada]

Lon: Fiquei sabendo que vocês duas [está falando de Allison Krauss] fizeram parte do novo projeto em tributo a Dolly Parton. Isso já estava planejado ou pronto antes do CMT Awards ou a premiação foi o que proporcionou essa participação?

Shania: Não, isso tudo aconteceu ao mesmo tempo. Eu quis ter Allison e o Union Station no show independentemente dessa gravação. Pra mim FAFA combina com Allison e o Union Station porque é um tipo de canção muito profunda e sentimental em que você se emociona. É uma canção forte, mas profunda antes de tudo. E quanto a Dolly Parton, você sabe, eu sempre fui uma enorme fan e ela sabe disso. É muito claro, eu sei porque digo isso o tempo todo, então ela sabe que sou uma grande fan. E é claro que ela está bem concisa disso e me perguntou se eu gostaria de cantar no álbum. Eu disse “é claro!”, estando tão ansiosa quanto eu poderia estar de cantar “Coat of Many Colors”, canção que, você sabe, sempre foi uma grande inspiração pra mim. Então, ela disse que se quisesse mesmo cantar essa canção, ela seria minha então. Dolly fez tão bem a finalização inserindo alguns vocais de fundo na música, o que confortou minha mente. Foi uma emoção sem tamanho, estou realmente feliz com o modo que se deram as coisas.

Lon: Mal posso esperar para ouvir, é claro, o Tributo a Dolly Parton chamado “Just Because I’m A Woman” (“Só Porque Sou Uma Mulher”), que será lançado dia 14 de outubro.

Lon: Um pouco antes, nós estávamos falando sobre seu grande show na cidade de Chicago. Mas achei legal também você passar algum tempo passeando por Chicago, fazendo outras coisas além de se preparar para o concerto.

Shania: Eu passeei, você sabe, pra mudar um pouco. Eu geralmente não faço isso quando visito cidades, então quis andar por Chicago um pouco, entende? Uma das coisas mais especiais que fiz foi visitar o Kid’s Café Location (Casa Café das Crianças), uma casa de caridade que eu ajudo a manter através do Second Harvest Food Bank (Segundo Banco para Doações de Alimentos). Nós fomos capazes de arrecadar muito dinheiro àquela noite no show, porque tivemos cabines do lado de fora para que as pessoas fizessem doações. E lá dizia que se você fizer uma doação, eles ganham um bilhete para poder subir no palco e tirar uma foto.

Lon: Isso foi muito legal. Quando eu estava andando pela multidão pude notar isso.

Shania: Sim, sim.

Lon: Então, você doa um dólar, e eles ganham uma foto.

Shania: Eu sorteio um bilhete e a pessoa sobe no palco para um retrato.

Lon: O mais recente sucesso de Emerson Drive é “Only God Could Stop Me From Loving You” (“Só Deus Pode Me Impedir de Te Amar”), escrito por seu marido Mutt Lange em 1994, e seu primeiro verso é “nós vimos a lua no Colorado, fizemos músicas no Tennessee”. Então, eu preciso saber, isso é sobre vocês?

Shania: [risos] Oh... não, provavelmente não. Ele nunca disse isso, nunca me falou sobre isso. Acho que poderia ser sobre alguém que ficou no passado, mas não foi escrito para mim.

Lon: Ele já tocou essa canção para você?

Shania: Oh, sim, sim. Ele sempre toca seu trabalho pra mim. Sim.

Lon: Mas é algo que ele esconderia de você? Ou vocês já conversaram sobre isso?

Shania: Não, acho que definitivamente ele escreveu essa canção para um homem. Lembro que ela não foi intencionada a mim. Às vezes ele toca pra mim suas idéias e pergunta o que eu acho delas, se gostei delas, se são algo de qual eu gostaria de participar ou não, ou se dará certo de outro jeito. Ele toca algo e eu digo “Pra quem você está escrevendo? É algo que você gostaria que eu participasse?”, porque eu gosto de pega-lo antes que ele fique com outros artistas. Se eu gostar mesmo da idéia, eu me intrometo na hora para poder pegar essa idéia e daí, você sabe, ela fica sendo minha. Mas como isso é recíproco e ele faz assim comigo também, acaba sendo muito engraçado.

Lon: Reba McEntire veio aqui não faz muito tempo e disse o seguinte:

[Uma gravação da Reba é executada] “Shania e eu viramos ótimas amigas e foi tão legal, tão delicado me deixarem presenteá-la com o prêmio de Entertainer of the Year. Eu a chamei de novo na Suíça, conversei com ela e esse é o tipo de coisa especial que eu nunca irei esquecer; poder partilhar do sucesso das outras pessoas, porque eu sempre fui uma grande fan dela.”

Lon: Isso foi muito legal.

Shania: Muito legal mesmo, ela é maravilhosa.

Lon: Você teve mais oportunidades de conversar com ela desde então?

Shania: Bem, desde que nós nos encontramos cara à cara... é engraçado, porque na maioria das vezes nós artistas só nos vemos em premiações, porque ficamos sempre juntos e é onde você consegue por o papo em dia. Mas eu tenho certeza que a vi de novo não muito depois. Lembro que um dos meus shows favoritos em toda vida foi um show da Reba que aconteceu antes de entrar realmente em turnê, quando ainda estava começando a carreira de cantora com discos gravados. Foi tão divertido vê-la no palco, é realmente maravilhosa.

Lon: Nós estávamos falando sobre seu grandioso show a céu aberto em Chicago para mais ou menos 65.000 pessoas. Foi como andar de bicicleta? Quer dizer, foi fácil de lembrar e pegar o jeito mesmo depois de anos sem fazer?

Shania: Sim, fazia três anos e meio desde que eu tinha feito o último show. Não esperava ficar nervosa, porque o palco é onde eu me sinto em casa, onde me sinto mais confortável. Subir lá no palco e ficar com pessoas que estão lá pela mesma razão que você, pessoas com quem você se identifica, para compartilhar a mesma alegria, é realmente como estar com amigos. Não estava nervosa, afinal. Claro, você precisa dar o seu jeitinho estando em um novo palco, porque aquele palco de Chicago foi feito especialmente para esse show. Então foi minha primeira e última vez naquele palco.

Lon: Uau.

Shania: Então foi uma coisa nova, uma experiência nova.

Lon: E gigantesca.

Shania: Era um palco muito grande. Mas sabe, já que eu estava confortável no palco do show, isso não foi um problema.

Lon: Quero lembrar a todos que a turnê de Shania começa em setembro e para ver a lista completa com as datas dos shows, basta acessar www.shania-twain.com.

Lon: Um pouco antes falávamos sobre seu show em Chicago e sobre o fato deste ter sido seu primeiro show em três anos e meio. Houve alguma coisa difícil para você retomar em todo o processo?

Shania: Realmente não. Sabe, é incrível, realmente incrível como tudo flui naturalmente. Minhas apresentações são muito interativas e eu conto bastante com público para que o show dê certo. Como quando vou dizer ao público se ao fim de uma canção passo direto para outra ou tiro uns minutos para parar e pensar, tudo depende do público. Eles ditam o andamento do show porque nesse sentido nada está ensaiado ou coreografado. É muito fácil seguir assim, e me agrada muito continuar o show e não ter pensar nessas coisas, não sobrecarregar minha mente. Então eu só chego lá e faço o show naturalmente.

Lon: Um assunto do qual quero conversar mais é a caridade de você tem feito ou irá fazer durante a turnê. Fale-nos sobre o Kid’s Café.

Shania: Bem, é algo que eu levo muito a sério na minha vida pessoal. Meu sonho quando criança sempre era crescer e poder doar geladeiras cheias de comida para as famílias necessitadas, o que eu achava ser o melhor jeito de ajudar essas famílias a dar de comer para as crianças. Eu cresci ao norte de Ontário e todos lá tinham uma geladeira e eu pensava que se você pudesse abastecer sua geladeira para o inverno, tudo ficaria bem. Então, era um tipo de sonho meu poder abastecer as geladeiras das pessoas. E isso pode se tornar real e muito eficiente se você pensar um pouco e tiver em vista uma organização como o Second Harvest Food Bank (Segundo Banco para Doações de Alimentos). Eles têm um programa de ações com um projeto chamado Kid’s Café focado nas crianças, que são o meu interesse específico no caso. É um projeto muito importante para mim e acho que dos meus shows, não é importante só o dinheiro que arrecadamos, mas também o fato de chamarmos a atenção para essa questão. Acho que grande parte da solução está em chamar a atenção do publico em geral.

Lon: É um projeto confiável com toda certeza. Quem quiser mais informações sobre o Kid’s Café, pode acessar www.secondharvest.com.

Lon: Vince Gill foi meu convidado há alguns meses e aqui está algo que ele disse sobre você:

[Uma gravação de Vince Gill é executada] “Tive a chance de sentar ao lado de Shania por talvez uma hora e conversar com ela, e foi realmente um espaço de tempo gasto prazerosamente. Amy e eu nos sentamos junto a ela e todos nós ficamos conversando. Posso dizer muitas coisas sobre ela; carrega uma ótima mente sobre os ombros, sabe o que quer, sabe quem ela é, uma incrível somatória de adjetivos positivos.”

Shania: Isso é... uau... Muito legal poder sentar-me e somente conversar, como uma pessoa normal. Sabe, porque nos bastidores há sempre pessoas em volta e não há realmente oportunidade de ficar íntima de outros artistas. Essa foi uma chance excepcional; sentar numa salinha de uma casa e só conversar sobre a vida e outros assuntos, e foi algo realmente especial, porque eu representei Mutt na ocasião. Tenho certeza de que Mutt teria amado estar lá, porque ele admira mesmo muito o Vince. Ele o adora, nós dois adoramos. Claro, ele é um lindo cantor, um ótimo compositor e teria sido muito divertido se nós dois estivéssemos sentados lá, com os dois casais juntos proseando, mas mesmo não estando, foi realmente ótimo ficar na companhia deles. Acho que nos representei bem, a Mutt e eu, para o primeiro encontro. Eu já tinha dito “oi” pra ele no passado, mas posso dizer que se tivéssemos nos conhecido antes, hoje nós quatro seríamos bons amigos.

Lon: A próxima música na 6ª posição do Countdown é uma canção sua. Fale-nos sobre como foi escrever Forever and For Always.

Shania: Essa canção chegou de um jeito engraçado, porque foi uma canção com a qual passei muito tempo sozinha. Mutt e eu começamos a escrevê-la juntos, então cada um provavelmente colaborou igualmente com todo o álbum. Mas essa foi uma canção que eu tinha tocado só pra mim durante toda a gravidez. Bem, estávamos realmente centrados nesse álbum, então, como eu disse, passei muito tempo com essa música. Só eu, meus pensamentos e meu violão. Ficava apenas cantando a melodia, com suas pausas e falsetes. Isso foi algo que eu fiz por mim. Poderia ter me sentado no piso de um grande salão vazio junto ao meu violão e composto essa melodia, para depois juntos, Mutt e eu, colocarmos uma letra nela, como uma equipe. Essa é uma das minhas canções favoritas no CD, é uma canção muito íntima para mim.

Lon: Fiquei sabendo que seu filho Eja completou 2 anos e imagino que ele está na estrada junto com você.

Shania: Ah sim, meu filho nunca se separa de mim. Eu o mantenho grudado, porque você sabe, agora sou a mamãe, então eu gosto de estar junto dele o maior tempo possível.

Lon: Bem, me lembro que da última vez que saiu em turnê por um longo período, você levava seu cavalo junto para todo show que fazia. Está conseguindo fazer isso nessa turnê?

Shania: Bem, agora que tenho um filho, não sobra mesmo tempo para levar meu cavalo comigo. Eu me divirto só de lembrar da última vez. Era tão divertido cavalgar todo dia em um novo lugar. Foi uma aventura de verdade aquela turnê. Mas é claro que agora vou passar o tempo com meu filho, o que estou amando fazer, porque há cada momento maravilhoso em ser mãe, que me divirto a cada instante gasto com ele.

Lon: Você tem viajado muito nesses meses de preparação para a turnê, com todas essas participações especiais em programas. O que te motiva e te leva a continuar com essa exaustiva tarefa? Não seria mais fácil só pensar que, tendo vendido 34 milhões de discos, não há mais nada para provar aos outros e que não é necessário fazer tudo de novo, todos esses passos que, você sabe, trouxeram Shania Twain para o ponto em que chegou.

Shania: Sim, às vezes não é fácil, porque eu preciso superar qualquer desafio que já enfrentei nessa indústria há muito tempo quando no álbum “The Woman In Me”. Precisei realizar verdadeiras conquistas pessoais, desafios da indústria no meu último álbum Come On Over. Eu esperava trabalhar duro e ver o qual longe eu iria chegar. Foi uma conquista pessoal e agora tenho um desafio diferente. Quero me divertir. Quero curtir o que está acontecendo comigo, assim como tem sido. Não quero olhar pra trás daqui a dez anos e ver que não foi assim.

Lon: É o que nos passa Come On Over.

Shania: Absolutamente. Quero curtir isso e quero curtir a vida ao mesmo tempo. Não quero ficar estressada, então tento buscar um ritmo. Posso mesmo tentar me divertir com todas as coisas ao mesmo tempo, e este é meu desafio de agora em diante.

Lon: A turnê começa em 25 de setembro em Hamilton, e imagino que você está mesmo ansiosa para isso.

Shania: Sim, tenho um monte de coisas legais planejadas e espero que essa turnê seja claramente diferente do último show, pois haverá novas características. Estou aguardando cada vez mais excitada pela presença de todos.

Lon: Muita sorte com tudo e foi ótimo ter você aqui. Obrigado por me ajudar com a listagem dos hits.

Shania: Obrigada e se cuide.

Gostaram? Eu particularmente gostei demais dessa entrevista, em especial a parte sobre FAFA. Deve ter sido mesmo um pouco constrangedor pra ela ter percebido como as pessoas em casa devem ficar se perguntando o porquê dela sempre cantar essa música sentada, apesar de ser algo completamente natural e compreensível pra quem a conhece.

Acho que o desafio que Shania queria para 2003 realmente pôde ser conquistado. Espero que esta continue sendo sua meta para os próximos tempos.

Caso alguém queria fazer download dessa entrevista em PDF, o link está logo abaixo.

Download Direto (botão direito > salvar destino como...)
Nome: CasaTwainEntrevistas-CountryCountdown2003.pdf
Tamanho: 69 KB
Codec: text/PDF


Abraços e até a próxima postagem.

2 comentário (s):

Marlom disse...

Aeww, 10 a entrevista, extensa, trazendo vários detalhes desconhecido por grnade maioria dos fans da nossa diva, q arrasa em tudo q faz, num pensando em si próprio e sim em ajudar, doa, compartilhar, temos que pega-la ocmo exemplo, paar por no nosso dia-a-dia e ajudarm tmb a qm precisa, PARABÉNS SHANIA, PARABÉNS CASA!

Paulo Twain disse...

valeu marlom! obrigado mesmo.

o legal da shania é justamente isso, ela se expressa tão bem que acaba ajudando outras pessoas, mesmo sem querer, rs.

ah, desculpa a demora em responder... ainda estou me adaptando às aulas.

Postar um comentário

Evite o uso de linguagem não apropriada.